Conselho Estadual de Juventude

Foto: Vander Meirelles / Grafite: Handerson Chic

Um espaço que reúne governo e sociedade para pensar, planejar e articular as políticas voltadas para as juventudes: esse é Conselho Estadual da Juventude. Os Conselhos são órgãos criados por lei, e funcionam nas mesmas instâncias dos governos, ou seja: federal, estadual e municipal. O bom funcionamento dos Conselhos, seu fortalecimento e atuação efetiva, no entanto, dependem tanto dos jovens organizados quanto do incentivo dos governos. Em âmbito Federal, o Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE) atua em parceria com a Secretaria Nacional de Juventude e em diálogo com os Conselhos Estaduais e a sociedade civil.

Aqui no Espírito Santo, o Conselho Estadual da Juventude (CEJUVE) é consultivo e atua contribuindo na elaboração das Políticas Públicas das Juventudes, para que elas sejam feitas de forma democrática e para que o governo consiga ouvir as demandas dos diversos movimentos jovens. O CEJUVE é um espaço de consulta para o governo, que atua em parceria com a SEDH e está regulamentado pelo Decreto nº 3101-R (30/08/2012).

O CEJUVE se reúne mensalmente na Casa dos Direitos, sempre na primeira segunda-feira de cada mês. As reuniões são públicas e abertas. Duas comissões permanentes fazem parte do CEJUVE atualmente: a Comissão de Políticas Públicas para Juventudes e a Comissão de Direitos Humanos. O CEJUVE é composto, de acordo com o Decreto 4122-R, por 20 representantes da Sociedade Civil e 10 do Poder público. Da Sociedade Civil, os seguintes segmentos devem estar representados: Movimento LGBT, Movimento de Mulheres, Movimento Negro, Comunidades Tradicionais, Juventudes do Campo, Juventudes Partidários, Movimento Estudantil Secundaristas, Movimento Estudantil Universitário, Movimento Cultural da Juventude, Juventudes do Esporte, Movimento de Jovens com Deficiência, Movimento de Juventude Religiosa, Movimento de Juventude Sindical, Entidade de Pesquisa e Projetos ligados à Juventude. O mandato tem duração de dois anos, sempre com a realização de eleições ao final desse período, que são publicadas no Diário Oficial (DIO), local de publicização dos atos oficias do Governo Estadual.

CEJUVE

cejuve-sedh@sedh.es.gov.br / (27) 3222-4207 / (27) 3132-1820

DOCUMENTOS

Lei Nº 8.594 - Institui a Política Estadual de Juventude e cria o CEJUVE

Decreto Nº 3101-R - Aprova o Regulamento do Conselho da Juventude - página 1

Decreto Nº 3101-R - Aprova o Regulamento do Conselho da Juventude - página 2

Regimento Interno do CEJUVE

PACTO PELA JUVENTUDE CAPIXABA 2018

Ata da 2ª Sessão Plenária

Ata da 3ª Sessão Plenária

Ata da 4ª Sessão Plenária

Ata da 5ª Sessão Plenária

Ata da 6ª Sessão Plenária

Ata da 7ª Sessão Plenária

3ª Conferência Estadual

Relatório da 3ª Conferência Estadual de Juventude – Espírito Santo, 07/11/2015.

Lista de delegados da 3ª Conferência Estadual de Juventude

2020

Eleição do CEJUVE

PORTARIA CONJUNTA Nº 005-S/2020 - Dispõe sobre a criação de Comissão Eleitoral para organização do processo eleitoral das organizações da sociedade civil para o biênio 2020-2022.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NO CEJUVE.

DIVULGAÇÃO PARCIAL DAS ENTIDADES APTAS PARA O PROCESSO ELEITORAL

RESULTADO DEFINITIVO DAS ENTIDADES APTAS

REGIMENTO ELEITORAL SUPLEMENTAR

2018

Eleição de representantes da Sociedade Civil para o CEJUVE ES

Edital de Convocação

Edital de Convocação - novos prazos

Instituições inscritas

Instituições aptas para a Eleição

Lista de Conselheiros Eleitos para o biênio 2018/2020

2017

Regulamento CEJUVE ES

Decreto Nº 4122-R, que aprova o novo regulamento do CEJUVE

Errata do novo Regulamento do CEJUVE - DIO 31.08.2017

Saiba mais sobre os Conselhos

Como surgiram os Conselhos?

No Brasil, a Constituição de 1988 trouxe a necessidade de consulta pública e também de espaços de tomadas de decisão que deliberassem junto com a sociedade, não somente com especialistas e estudiosos, mas também com quem vivenciava cada política, ampliando a participação e o controle social. Assim, atendendo a essa necessidade democrática, foi se ampliando a atuação de conselhos, tanto como instâncias de consulta, quanto de tomadas de decisões. Houve um fortalecimento dessas instâncias quando entrou em vigor a lei que condiciona o recebimento dos recursos destinados às áreas sociais, por parte dos municípios, à existência de conselhos.

Já os Conselhos de Juventude são espaços de participação e interlocução da juventude com o poder público no planejamento e acompanhamento da execução das Políticas Públicas de Juventude (PPJ).

São ligados ao Poder Executivo, ou seja, prefeituras, governo estadual e governo federal. Nestes espaços, representantes da juventude organizada podem debater junto com os representantes dos governos sobre os projetos e as necessidades comuns e inseri-los na agenda governamental.

Atualmente, o Brasil conta com o Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE), criado em 2005 e vinculado à Secretaria Nacional de Juventude, além dos conselhos estaduais e municipais espalhados por todo o país, com diferentes formatos e estruturas de funcionamento.

A composição e a forma de funcionamento dos conselhos são muito variadas, refletindo em parte a diversidade sociocultural da juventude brasileira. Os formatos são definidos combinando diversas possibilidades, que variam de acordo com a existência e efetividade das políticas públicas de Juventude, o cenário político, a organização e a mobilização da juventude e a cultura de participação dos jovens, entre outros.

Geralmente os conselhos são compostos por representantes de diversos segmentos da juventude, tais como: Juventude indígena, rural, partidária, negra, dos movimentos de mulheres, dos movimentos religiosos, dos movimentos estudantis, LGBTI+, entre outros.

Os conselheiros geralmente são representantes do governo (servidores de secretarias municipais, estaduais e dos ministérios) e representantes da sociedade civil (jovens indicados por ONGs, movimentos ou coletivos de juventude).

É atribuição de cada conselho discutir e/ou deliberar a respeito das Políticas Públicas de Juventude. Isto não significa, no entanto, que a deliberação deve ser de imediato acatada pelo governo, exceto nos casos específicos previstos em lei. De acordo com a forma de intervenção nas decisões públicas, os conselhos ser:

  • Conselhos consultivos – Quando oferecem recomendações e sugestões de quais devem ser as diretrizes e perspectivas das políticas públicas de juventude e do orçamento. Neste caso, o gestor não é obrigado a acatar o parecer emitido;
  • Conselhos normativos – Quando possuem poder de criar regulamentações e normas, que se expressam por meio de resoluções, portarias, deliberações, instruções para a execução das leis, decretos e regulamentos;
  • Conselhos deliberativos – Quando possibilitam aos conselheiros participar das decisões sobre determinadas questões específicas, no sentido, por exemplo, de determinar a forma de execução e/ou o investimento em políticas, programas e ações concretas para a comunidade.

Pesquise se o seu município possui um conselho de juventude e comece a exercer sua cidadania contribuindo com a formulação e efetivação das Políticas Públicas de Juventude no seu território!

Conheça os conselhos municipais de Juventude do Espírito Santo:

Conselhos

Presidentes

Contato

Serra

Lucas Pretti Cypreste

lucas.cypreste@serra.es.gov.br

27 981347816

Cachoeiro

Thiago Elias Tognere – Presidente interino

thiagoeliastognere@gmail.com

Vila Velha

Marilene Bento de Araújo

mbaraujo@vilavelha.es.gov.br

27 31497580

Cariacica

Allyson Marcello Sant’Ana

allysson.santana@cariacica.es.gov.br

27 33545505

Vitória

Jéssica Cristina Silva Delcarro

jcsdelcarro@vitoria.es.gov.br

27 33826662